Guarujá em Porto Alegre


Conheça sua história.

O Guarujá foi constituído como tal em 1959, embora seu povoamento seja anterior. Não há como dissociar o desenvolvimento do bairro Guarujá da construção da Igreja Santa Rita de Cássia. No entanto, a mobilização em torno disso foi um grande fator não só para o crescimento do Guarujá, mas também para os demais bairros próximos, tais como o Espírito Santo e a Ponta Grossa, que passariam a dividir a mesma paróquia. Um dos maiores incentivadores do movimento pela construção da Igreja (e um dos primeiros moradores) foi o Capitão da reserva Herculano Azambuja. Com a constituição da Igreja (finalizada em 1952), a então tradicional calmaria do Guarujá passou a ser deixada de lado nos meses de maio, quando acontece a festa de Santa Rita. Desde 2004, a Festa de Santa Rita de Cássia consta do Calendário de Eventos Oficiais de Porto Alegre. As festividades acontecem ali anualmente, no domingo que antecede o dia 22 de maio, dia oficial de Santa Rita, mas festa acontece anualmente, desde 1968, promovida pela comunidade.
Apesar de ter em seu princípio uma arquitetura baseada em chalés de madeira para veraneio, desde 1952 há no bairro uma casa, construída por Antonio Amabile, com 41 formas chinesas. Assim como grande parte dos bairros da Zona Sul, igualmente o Guarujá, com a abertura de vias ligando o bairro ao Centro, passou progressivamente de local de veraneio para zona residencial. Infelizmente (assim como na maioria dos bairros à beira do Guaíba) a população não tem mais condições de balneabilidade devido à poluição do rio. As alternativas de lazer então são as áreas verdes do bairro, urbanizadas durante as obras para um melhor drenagem.
As principais vias do Guarujá são a Estrada da Serraria, mais ao interior, e a Avenida Guaíba, à beira do rio. A primeira passa pelo bairro, ligando-o à Avenida Juca Batista para o norte e ao Serraria, Ponta Grossa e Belém Novo, para o sul, enquanto que a segunda conecta o Guarujá para o norte com Espírito Santo e Ipanema.