Tristeza em Porto Alegre


Conheça sua história

Assim como a maior parte da Zona Sul, originalmente o Bairro Tristeza caracterizava-se por ser rural e bastante tranquilo, longe da movimentação e a vida cultural do centro. A própria origem do nome do bairro atesta isso: um dos primeiros moradores da região, José da Silva Guimarães, possuía uma chácara no que hoje é conhecida como Vila Conceição, as características pessoais deste pioneiro, a quem atribuíam um semblante triste, acabaram por designar o nome do bairro. Hoje a principal via de acesso ao bairro é a Avenida Wenceslau Escobar, que teve inicialmente a designação de Rua Borges de Medeiros e de 11 de Setembro, até ser definida com seu nome atual em 1951. Esse novo caminho para a Zona Sul de Porto Alegre proporcionou uma ligação muito forte entre a Tristeza e o bairro Cristal, visto que, com a construção do hipódromo do Cristal, desenvolve-se uma intensa atividade imobiliária na região. Dessa forma, por tabela o crescimento do Cristal impulsiona a atividade balneária tradicional do bairro Tristeza. Atualmente, o bairro Tristeza caracteriza-se por ser um bairro residencial, e a Avenida Wenceslau Escobar concentra boa parte do comércio. Na região da orla do Rio Guaíba, predominam casas de alto valor, enquanto que na área próxima ao bairro Camaquã há edifícios de médio e pequeno porte, já a zona próxima ao Morro do Osso (limítrofe ao Bairro Ipanema), ainda há a sobrevivência de uma tranquilidade que foi perdida com o processo de urbanização ao longo do século XX.